18/07/2016 Estou com câncer, e agora?

Waléria Cattani Sakashita 

Psicóloga - CRP 12/05835


A palavra câncer pode causar inicialmente um impacto psicológico e social na vida de muitas pessoas, isso porque temos que nos adaptar rapidamente a diversas mudanças físicas e emocionais. Sejam mudanças no corpo, na rotina de casa, trabalho e no contato com amigos ou mesmo na forma de pensar e agir. 

O diagnóstico de câncer e todo o processo de tratamento e mudanças na rotina podem trazer uma série de sentimentos e reações emocionais das quais não estamos acostumados a lidar diariamente.

Sentir-se perdido, sem saber que rumo tomar, com dúvidas e incertezas, faz parte do processo inicial da descoberta da doença.

Importante ressaltar que cada pessoa é única e cada um reage às situações de forma diferente e tem um tempo para se reorganizar e se adaptar a esse momento.  Essas reações vão depender da personalidade, idade, estilo e modo de vida e do momento atual em que o paciente se encontra.

Conforme o paciente é orientado e recebe as informações sobre suas dúvidas com a equipe multidisciplinar, ele vai assimilando e se organizando com as informações do tratamento e da doença.

É muito importante a ajuda da família e amigos mais próximos que poderão auxiliar no processo de suporte e apoio. Esses contatos, ou melhor, essa rede de apoio vai permitir ao paciente conversar sobre o período atual que está vivenciando ou mesmo sobre outros assuntos para se distrair e aliviar a tensão, amenizando as dificuldades encontradas durante o período de tratamento.

Buscar algo que se gosta de fazer ou algo que sente prazer vai ajudá-lo a se distrair e equilibrar momentos de preocupação e lazer. Não havendo restrição médica, uma simples caminhada ou um encontro com amigos pode ser algo importante para o processo de adaptação. Procure falar com pessoas em que confia e sair com amigos que possam auxiliá-lo em atitudes positivas durante esse processo.

Outra opção pode ser fazer algum trabalho manual para ajudá-lo a passar o tempo ou a ter uma distração.

Caso os sintomas emocionais sejam muito intensos e recorrentes, e você tenha muita dificuldade em se adaptar às mudanças atuais, é importante procurar ajuda profissional, através de um psicólogo que poderá auxiliá-lo nesse processo.

Foto: Bolsa de Mulher

Outras Notícias