16/09/2017 Dia Mundial do Doador de Medula Óssea

No terceiro sábado de setembro é o Dia Mundial do Doador de Medula Óssea. O transplante é uma modalidade de tratamento indicada para pacientes com leucemia, anemias graves, linfomas, imunodeficiências e doenças relacionadas aos sistemas sanguíneo e imunológico. Existem dois tipos de transplante: o autogênico, onde as células transplantadas são coletadas do próprio paciente; e o alogênico, onde o paciente recebe células de outros doadores. Assim, há duas formas de obtenção da medula óssea: a coleta diretamente da medula por punção na bacia sob anestesia geral ou com um procedimento onde se coloca um cateter no doador e as células da medula são separadas por um processo de centrifugação, sendo as demais células devolvidas no final do processo.

Quando uma pessoa necessita de transplante, a primeira opção é buscar um doador compatível na família. Infelizmente, o doador compatível (geralmente irmãos), só está disponível em cerca de um quarto dos casos, então a solução é consultar o Registro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME). Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o REDOME tem hoje mais de 3,7 milhões de doadores cadastrados, se tornando o terceiro maior banco de doadores do mundo, atrás somente dos Estados Unidos e da Alemanha. O REDOME ainda está integrado à Associação Mundial de Doadores de Medula (WMDA), ampliando o número de possíveis doadores, assim, a chance de um paciente encontrar um doador compatível é de 64%. 

Mas é preciso mais, por isso sempre são feitas campanhas, mostrando que um ato simples pode salvar vidas. Para se tornar um doador de medula óssea, por exemplo, basta fazer um cadastro no Hemocentro Regional de Joinville, que vai efetuar uma breve entrevista. A pessoa precisar ter entre 18 e 55 anos de idade, estar em bom estado geral de saúde e não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico. Após, será realizada a coleta de amostra de sangue e os dados obtidos na amostra vão para um cadastro nacional. Quando houver necessidade, os dados serão acessados e caso se confirme a compatibilidade, o doador será consultado para confirmar a doação. É importante lembrar de manter o seu cadastro sempre atualizado, seja no Hemocentro, onde foi feita a coleta do exame, ou no site do REDOME.

Dr. Ivan Boettcher

Hematologista do Centro de Hematologia e Oncologia


Outras Notícias